Entrega Rápida no Portugal com a UPS: 2-3 dias úteis por apenas € 13 Grátis a partir de €150.

0

O Seu Carrinho está Vazio

O CBD pode reduzir o stresse

fevereiro 13, 2019 3 min de leitura

O CBD pode reduzir o stresse

O stresse é uma das razões pelas quais muitos indivíduos utilizam cannabis, expressando que a planta os encoraja a relaxar no fim de um dia difícil, ajuda a descansar em casos de privação de sono e diminui os níveis de inquietação. Não apenas isso, um relatório atual descobriu que os consumidores de cannabis padrão têm uma reação de pressão menor quando apresentados a incitação angustiante contrastada com indivíduos que não utilizam cannabis, e o Transtorno de Stresse Pós-Traumático (TEPT) está a ser progressivamente percebido como um foco corretivo para cannabis restaurativa.

A razão pela qual a cannabis e o stresse diminuem é como uma unidade inseparável que fica evidente quando pensamos na conexão indispensável entre os segmentos dinâmicos da planta e o próprio corpo o sistema endocanabinóide (ECS). Nós, perto de todos os diferentes vertebrados, temos um imenso arranjo de excepcionais receptores canabinóides e neurotransmissores chamados endocanabinóides. Juntos, eles atuam como controladores homeostáticos, com um negócio, como sempre, de transmitir equalização e seguro a todas as estruturas do nosso ser vivo. Na hipótese de que o movimento excessivo ou insuficiente seja reconhecido, o arcabouço endocanabinóide entra em ação para trazê-lo mais uma vez à concordância mais uma vez.

Desde que oCBD não tem uma parcialidade de acoplamento com os receptores CB1, não se acredita que influencie o movimento endocanabinóide de forma indistinguível do THC. Verdade seja dita contempla que propor o CBD neutraliza realmente o seu impacto psicoativo. Seja como for, ao impedir a geração da FAAH, a substância química encarregada de separar a anandamida endocanabinóide, o CBD é aceite de forma indireta para tonificar a ECS, aumentando a nossa capacidade de adaptação à pressão. Não apenas isso, acredita-se que o CBD tenha diminuído o nervosismo, o que os ciêntistas aceitam por causa da capacidade dos canabinóides de decretar incompletamente os receptores 5HT1a da serotonina. 

O CBD reduz a pressão arterial

De qualquer forma, o que acontece se a pressão incessante e a irritação acabaram de unir forças contra as nossas veias, criando aterosclerose - uma condição na qual elas se solidificam e se limitam? A hipertensão tem uma tendência a ser o resultado e é um efeito secundário exemplar da pressão incessante. Mais uma vez, o CBD destaca-se como um método característico para reduzir a nossa tensão circulatória.

No Simpósio Internacional da Sociedade de Pesquisa atual sobre Canabinóides, em Montreal, o professor associado da Universidade de Nottingham, Saoirse O’Sullivan, apresentou o seu trabalho esboçando como uma medida solitária de CBD pode diminuir o pulso nas pessoas. Nove voluntários sadios receberam 600mg de CBD num exame randomizado, falso, controlado, duplo, com deficiência visual e híbrido. Ela descobriu que o controlo do CBD “diminui a pressão arterial em repouso (repouso) e o incremento da pressão arterial em pessoas, relacionadas à FC (frequência cardíaca) expandida”. O'Sullivan supõe que essa redução no pulso pode ser opcional para o impacto do CBD contra o nervosismo recomenda que o CBD inibe afetavelmente o pedaço de sistema sensorial que permite a batalha ou reação de fuga", desta forma, manter uma expansão na tensão circulatória e rendimento cardiovascular."
Esta é a principal investigação do tipo demonstrando que o CBD traz diretamente o pulso em seres humanos, que sem dúvida proclamará adicionalmente examinar o CBD como um foco útil para a doença coronariana.

Dessa forma, parece que o CBD pode, talvez, acalmar as águas agitadas das nossas vidas preocupadas, tanto como medida de dissuasão quanto para conter os impactos que a pressão de longa distância perpetra nos nossos corpos e psiques.

Referências

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5470879/
http://www.nhs.uk/Conditions/Atherosclerosis/Pages/Introduction.aspx
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2697769/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3797438/

Formula Swiss
Formula Swiss


Deixe um comentário

Os comentários serão aprovados antes de serem apresentados.

Junte-se à nossa newsletter para obter um presente de boas-vindas gratuito